Por uma energia mais limpa

Engenheiro convidado pelo Sebrae fala dos benefícios da energia gerada através do calor do sol

Em abril, o engenheiro Marco Américo foi convidado pelo Sebrae para palestrar na CDL sobre alternativas limpas de energia. Após o aumento da tarifa concedido pela Aneel, falar sobre alternativas energéticas tornou-se vantajoso também para o bolso do consumidor. O palestrante deu foco à energia fotovoltaica, negócio que ele considera um “ganha-ganha”, onde tanto o usuário quanto o meio ambiente saem beneficiados. Ele também pontua que um dos fatores que favorece a economia é o fato da geração acontecer no exato ponto de consumo. “É possível economizar durante o transporte, quando ao percorrer um longo caminho, da usina até o ponto de consumo, a energia se perde”.

 

Levando o assunto para as realidades do comércio e da indústria, ele ressalta os benefícios principalmente para quem possui um alto capital de investimento. “Neste caso, a melhor estratégia, quando se pensa em adotar um sistema fotovoltaico, é implementar medidas de eficiência energética antes de instalar o sistema solar. Fazendo isso, o usuário reduz rapidamente a sua conta de energia, e o sistema fotovoltaico terá um tamanho e um custo menor”, explica. Para ele, a ideia é reduzir imediatamente a conta de energia elétrica, além de estabelecer um marketing verde da empresa e valorizar o imóvel.

 

Marco apresenta dados que provam que a energia fotovoltaica já é uma tendência. “As previsões da EPE (Empresa de Pesquisa Energética do Ministério de Minas e Energia) já foram superadas em mais de 100%”, revela. Os números indicavam, para 2019, uma potência instalada de 124MW, mas em maio de 2018 esse número já ultrapassou os 300MW.

Requisitos para a instalação

Segundo Marco Américo, para usuários com um consumo de energia muito pequeno, perto do valor mínimo, geralmente os sistemas fotovoltaicos não são viáveis. Para desfrutar de todos os benefícios da atual legislação (Resolução Aneel 482 e 687), o sistema de geração de energia não pode ser superior a 5MW (e 3MW para os casos de geração hidrelétrica). Os consumidores ligados em baixa tensão têm uma vantagem adicional, pois a viabilidade econômica fica mais atraente. Um outro requisito é a disponibilidade de área para a instalação dos módulos solares, preferencialmente com “visada” para o Norte, e sem sombras (como de árvores e prédios). Contudo, como previsto na legislação, é possível instalar os módulos solares em um local e “consumir” a energia em outro (consumo remoto), desde que os dois locais estejam dentro da mesma concessionária de energia e no mesmo CPF/CNPJ. Isso permite que até os pequenos apartamentos possam ter a sua usina solar e favorece parcerias entre empresas próximas, como o rateio de custos fixos, como por exemplo a manutenção do sistema.