Em: Notícias CDLNITEROI

Diminuição da violência – Conselho de segurança

A segurança é uma preocupação antiga da CDL Niterói. Por isso, como costume, aconteceu na manhã desta quinta-feira, 04/07, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de NIterói, mais uma edição do Conselho Municipal de Segurança, grupo que visa debater demandas e soluções da área da segurança pública.

Dessa vez, o encontro debateu a diminuição da violência na cidade, o aumento do efetivo de bombeiros na cidade, em conjunto com um projeto de prevenção. Além de anúncio, a prisão de dois meliantes que integram o Bonde do Fuzil, grupo de assaltantes que cometeram diversos delitos na cidade.

Como de costume, diversas autoridades participaram do conselho, como o Tenente Coronel Sylvio Ricardo Ciuffo Guerra, do 12º BPM , coronel Paulo Henrique e Camila Meirelles, do Gabinete de Gestão Integrada Municipal, e os delegados Dra. Raissa Celles, 77ª DP, Marcus Peralta, 79ª DP, David Gonçalves, Niterói Presente.

Sobre a apreensão dos criminosos, o Tenente Coronel Sylvio Guerra, disse: “A ocorrência traz um resultado muito positivo para Niterói. A 12ª DP, em uma ação conjunta com o Niterói Presente, conseguiu pegar dois, dos quatro elementos, que fazem parte do Bonde do Fuzil, autores de diversos assaltos em Icaraí”. Sobre os resultados do batalhão, ele afirmou: “Em julho, nós tivemos menos de 113 roubos de rua em Niterói, o menor número do ano, até o momento”.

Ainda segundo ele, o 12 DP foi que mais reduziu roubos de rua no estado do Rio de Janeiro. E o roubo a veículos foi reduzido em todos os meses. Para a Dra. Raissa Celles, a dificuldade de identificar os marginais se deve ao medo que muitas vítimas têm de fazer o reconhecimento. “É importante que a sociedade tome para si a responsabilidade da segurança pública, que é um dever da polícia, mas que também precisa do suporte do povo”, declarou.

A consequência disso, é que, com o múltiplos registros, a tendência é que o bandido fique mais tempo preso. “A tentativa é de que, com muitas passagens, isso dificulte algum tipo de afrouxamento da pena”, declarou Marcus Peralta, delegado da 79ª DP.